• Assessoria Cooperativa Bom Jesus

FEIJÃO SAFRINHA - Manejo bem conduzido pode gerar boa receita


O feijão é uma das mais importantes culturas de grãos para a região sudeste paranaense. Em sua história, a Bom Jesus fomenta essa cultura sendo carro chefe da Cooperativa nos anos 80. Com a força e mercado de culturas como o milho e a soja, o feijão foi perdendo seu protagonismo, mas ainda assim é uma cultura importante pois está na alimentação básica do brasileiro.


Sendo uma cultura de curto tempo de desenvolvimento, em média 90 dias, o feijão abre a possibilidade de fazer dois plantios de verão na mesma safra, por exemplo, plantio após milho ou soja precoce, o que chamamos de feijão safrinha. Mas para garantir uma boa condução, o solo precisa estar balanceado com macro e micro nutrientes que serão importantes para o desenvolvimento.


Para Bruna Siqueira, Desenvolvimento de Mercado da Timac Agro, o feijão pode ser rentável, mas faz um alerta. “O cultivo do feijão safrinha com cultivo entre Janeiro/Fevereiro, após milho, soja, ou até mesmo palhada de inverno é uma opção muito rentável ao agricultor da região da Cooperativa Bom Jesus, porém alguns cuidados devem ser tomados, já que o volume de chuvas é bem menor nesta época no ano, o que pode comprometer principalmente a fase de enchimento de grãos”, afirma.


Bruna destaca um manejo bem conduzido. “Para minimizar os riscos e garantir uma boa condução da lavoura a boa adubação é essencial, pois a cultura do feijoeiro responde bastante a aplicação de nutrientes, o ciclo curto precoce da cultura do feijoeiro faz com que seja necessária uma atenção especial em todas as operações”. A adubação especial da cultura auxilia para produzir mais, segundo Bruna “no caso especifico da adubação o produtor precisa garantir que o nutriente esteja presente no momento certo para a raiz aproveitar, outro ponto muito importante é a formação do sistema radicular, que de forma geral é pequeno e pouco profundo quando comparado a outras culturas, isso faz com que a planta tenha menor tolerância a estiagens e seja ainda mais importante o estimulo a formação, de um maior volume de raízes e pensando nisto o nutriente fosforo é muito importante para o desenvolvimento radicular”, complementa.


O fósforo é um importante nutriente para mais diversas culturas. Ele é um nutriente imóvel no solo, sendo o sistema radicular importante para captura e com isso o aproveitamento do fósforo. Segundo Bruna ele “precisa estar disponível no solo até o início da formação das vagens, muitas vezes com a adubação convencional fosfatada o produtor tem um baixo aproveitamento do fósforo devida as interações que ele sofre no solo, principalmente em PH ácidos que são muito comuns nas nossas regiões e isto acaba limitando o desenvolvimento da cultura”, explica.


Como forma de minimizar possíveis problemas de falta de nutrientes no solo e que eles estejam disponíveis para a planta, a Bom Jesus trabalha com fertilizantes que auxiliam no manejo e que “contém nitrogênio para o arranque inicial da cultura, fósforo protegido contra fixação no solo, potássio, além de cálcio e enxofre, ou seja, um fertilizante completo que irá garantir maior formação de sistema radicular, maior segurança para o agricultor e mais produtividade no final do ciclo”, destaca Bruna.


Para maiores informações sobre a cultura do feijão, seja de aspecto técnico ou de venda do cereal, entre em contato com a unidade da Cooperativa Bom Jesus mais próxima e saiba mais.


Confira essa matéria na íntegra na Revista Bom Jesus, edição 180. Versões impressa e digital.