• Assessoria Cooperativa Bom Jesus

Intercooperação - 1º Seminário reúne Cooperativas fundadoras da Maltaria Campos Gerais



Nesta quinta-feira, dia 12, a Agrária recepcionou na Akademie IREKS & Agrária representantes das cooperativas Bom Jesus, Capal, Castrolanda, Coopagrícola e Frísia para o 1º Seminário de Intercooperação. O encontro reuniu os agentes envolvidos no projeto da Maltaria Campos Gerais, investimento das seis cooperativas que será instalado entre as cidades de Ponta Grossa e Carambeí.

A abertura do evento contou com a participação do presidente da OCEPAR (Sindicato e Organização das Cooperativas do Estado do Paraná), José Roberto Ricken, que falou sobre a relevância da iniciativa de intercooperação para o PRC-200, plano estratégico do cooperativismo paranaense. “Esse é o assunto mais importante do nosso cooperativismo no momento, por isso é necessário que as cooperativas que fazem parte do projeto tenham um entendimento maior sobre o que é a intercooperação. Vocês do centro-sul estão dando um grande exemplo para todo o nosso estado”, declarou Ricken.

O encontro apresentou aspectos técnicos sobre a construção e funcionamento da futura Maltaria e abordou a parceria entre a FAPA (Fundação Agrária de Pesquisa Agropecuária) e a Fundação ABC, para a pesquisa e fomento do plantio da cevada na região dos Campos Gerais. O diretor-presidente da Agrária, Jorge Karl, enfatizou que a disponibilidade do grão, principal matéria-prima para o novo negócio, depende do interesse do produtor na cultura. E, para que os cooperados invistam na cevada, é necessário que ela se mostre rentável. “A pesquisa é fundamental para encontrarmos variedades que se adaptem bem à região e tragam rentabilidade ao produtor. Nesse sentido, os setores de Assistência Técnica das nossas cooperativas serão a ligação entre o trabalho dos pesquisadores e os cooperados, mostrando a viabilidade da cultura da cevada”, explicou Karl.

No entanto, o ponto alto do Seminário foi a assinatura do Acordo de Intercooperação entre as cooperativas que fazem parte do projeto. “O cooperativismo paranaense é referência para o Brasil e essa iniciativa é mais uma prova disso. Falar apenas dos valores desse investimento é algo muito pequeno diante do número de empregos e da geração de renda que essa Maltaria irá trazer”, afirmou a presidente da Comissão de Agricultura da Câmara Federal, deputada Aline Sleutjes.

Em nome das seis cooperativas fundadoras da Maltaria Campos Gerais, o presidente da Bom Jesus, Luiz Roberto Baggio, também destacou a importância econômica do projeto. “Inauguramos hoje a primeira fase de um modelo que fará com que tenhamos avanços na gestão dos nossos negócios. Temos certeza que essa ação terá um efeito multiplicador de renda para nossa microrregião”.

Para complementar a programação, os participantes realizaram uma visita guiada às instalações industriais da Agrária Malte, onde o coordenador da Maltaria Campos Gerais, Vilmar Schüssler, apontou as similaridades e diferenças em relação à sustentabilidade e inovação entre os dois projetos.


(Imprensa Agrária)