Chuva intensa castiga lavouras de soja do Paraná

As chuvas torrenciais em diversas regiões do Paraná estão atrapalhando o desenvolvimento das lavouras de soja, o plantio de áreas mais tardias, além da alta umidade, característica propícia para a ocorrência da ferrugem asiática nos próximos meses.

 

A pesquisadora da Embrapa Soja Cláudia Godoy relata que a semeadura da soja logo após o período de vazio sanitário – associado às chuvas intensas – fez com que o número de focos de ferrugem asiática seja o dobro do ano passado no Estado, algo em torno de 20 até agora, segundo o site do Consórcio Antiferrugem. "Como alguns produtores não conseguem entrar na lavoura para o plantio, a janela de semeadura vai se estender, o que pode aumentar os casos da doença".

 

O técnico do Departamento de Economia Rural (Deral) da Secretaria de Agricultura do Paraná (Seab) Marcelo Garrido relata que até na semana passada 87% das áreas de soja do Estado já estavam semeadas. Nesta semana, segundo ele, o percentual não deve ter avançado muito. "Acredito que a preocupação está principalmente ligada à maior manifestação da ferrugem e o aumento no número de aplicações, mas os nossos técnicos que estão a campo relataram que ainda é cedo para fazer uma avaliação sobre prejuízos. Na quinta-feira (amanhã), vamos divulgar um número atualizado de como está o plantio da cultura".

 

De acordo o levantamento do Deral, a expectativa é de uma colheita de 18 milhões de toneladas de soja nesta primeira safra, alta de 6% frente aos 16,9 milhões da safra 2014/15. A área de plantio é de 5,2 milhões de hectares.

 

Fonte: Agrolink.

 

Please reload