Palestra técnica sobre Doenças em Soja reúne cerca de 300 participantes

17/11/2016

No dia 16 de novembro a Cooperativa Bom Jesus, com o apoio da Syngenta, promoveu a palestra técnica sobre "Doenças em Soja", com o engenheiro agrônomo e doutor Lucas Navarini do Instituto Federal Farroupilha. Cerca de 300  pessoas entre colaboradores do quadro técnico da cooperativa e cooperados que fazem parte do projeto Alta Performance participaram. Abrindo as atividades da noite o presidente Luiz Roberto Baggio comentou sobre os números da Bom Jesus e a importância do cooperado e parceria há 64 anos. Na sequência o gerente do Departamento Técnico, Severino Giacomel, falou sobre o projeto Alta Performance.

 

O palestrante Lucas Navarini sobre o tema: “Doenças em Soja,”, e iniciou a palestra alertando os produtores para um cenário mais agressivo para doenças nesta safra, em especial da ferrugem da soja. Segundo ele, as folhas são as geradoras de energia e que irão encher os grãos posteriormente e, por isso, é fundamental preservá-las. “O produtor vai ter que agir de forma preventiva para não perder em rentabilidade e produtividade. Fazer a primeira aplicação ainda no estádio vegetativo e respeitar os intervalos entre as aplicações”, pontuou.

 

No Paraná já se verifica uma progressão da doença, com focos diagnosticados em lavouras comerciais. Além do fenômeno El Niño, outro motivo que, segundo Navarini, pode ter favorecido a ocorrência precoce da doença é o aumento de soja guaxa ou voluntária. “Em muitas das lavouras visitadas observamos grande quantidade de soja guaxa que sobrou da entressafra. Isso favorece a permanência do inóculo do fungo causador da doença e propicia seu aparecimento precoce na safra”, explicou.

 

Navarini sugeriu para um controle mais eficaz das doenças que o agricultor deve buscar informações precisas quanto ao comportamento de cada cultivar. "Destaco que entre os principais componentes do manejo integrado, a sensibilidade às doenças, a resposta de cada cultivar ao controle químico e a densidade populacional que pode potencializar seu rendimento devem ser fatores que o produtor necessita ficar atento. É preciso dar importância ao controle de ferrugem asiática, porém, sem esquecer-se do tratamento de sementes efetivo e da rotação de culturas, que visam diminuir os problemas causados por doenças no estabelecimento (podridões e tombamentos) e as doenças de fim de ciclo", diz o pesquisador. Navarini destaca que o controle das doenças é muito mais eficaz quando é feito a aplicação planejada na lavoura. "O monitoramento da lavoura é essencial para identificar os problemas e tomar as decisões mais acertadas", finaliza.

 

 

 

 

Doenças em soja

As doenças estão entre os principais fatores que limitam a obtenção de altos rendimentos em soja estão. São causadas por fungos, bactérias, nematoides e vírus já foram identificadas no Brasil. Esse número continua aumentando com a expansão da soja para novas áreas e como consequência da monocultura. A importância econômica de cada doença varia de ano para ano e de região para região, dependendo das condições climáticas de cada safra. As perdas anuais de produção por doenças são estimadas em cerca de 15% a 20%, entretanto, algumas doenças podem ocasionar perdas de quase 100%.

 

Please reload