Conab: produção de grãos deve crescer 17% e atingir 219 milhões de toneladas

A produção brasileira de grãos na safra 2016/17 está estimada em 219,11 milhões de toneladas, o que corresponde a um aumento de 17,4%, ou 32,5 milhões de toneladas a mais, em comparação com a safra anterior 2015/16, que foi de 186,6 milhões de t. Os números fazem parte do 5º Levantamento da safra 2016/2017, da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgado nesta quinta-feira, 9.

 

Conforme a Conab, a estimativa positiva se deve à produtividade média das culturas, em recuperação da influência negativa das condições climáticas da safra passada. A área total também tem números positivos, com perspectivas de ampliação em 2,1% ou 1,2 milhão de hectares, quando comparada à safra anterior, podendo atingir 59,54 milhões de hectares. “Esse é o primeiro prognóstico de área que incluiu as culturas de segunda safra”, informa a estatal.

 

Para a soja, a projeção é de crescimento de 10,6% na produção, podendo atingir 105,56 milhões de toneladas, com aumento de 10,1 milhões de t em relação à safra anterior e ampliação de 1,6% na área.

 

O milho total deve atingir 87,41 milhões de t, com crescimento de 31,4% sobre a safra anterior. Segundo a Conab, houve incremento de área de milho primeira safra, principalmente em Estados com alto consumo do cereal e condições climáticas favoráveis ao desenvolvimento das lavouras. A ampliação de área total do milho deve ultrapassar os 11 milhões de hectares. Já a segunda safra do cereal será “a oitava safra seguida de aumento na área plantada, em virtude da sucessão de cultura com a soja, plantada na primeira safra”, diz a Conab.

 

A Conab ressalta que, pela primeira vez, é apresentada estimativa desagregada de produção de arroz cultivado nos sistemas sequeiro e irrigado, além dos números da expansão da irrigação no Brasil e sua importância na safra de grãos, com informações da Agência Nacional de Águas (ANA). A previsão total de arroz é de 11,9 milhões de toneladas, um aumento de 11,9% frente a safra anterior, com 1,1 milhão de t de sequeiro e 10,8 milhões de irrigado.

 

O feijão primeira safra deve alcançar 1,41 milhão de toneladas, resultado 36,7% superior à safra passada, sendo 861,6 mil t para o tipo carioca, 319,4 mil t para o preto e 232,5 mil t para o caupi. “O forte incremento de área (14%) e a produtividade favorecida pelas boas condições climáticas refletem numa produção de 1,41 milhão de toneladas. Tanto o feijão carioca quanto o preto e caupi apresentam ganho de área e produtividade”, explicam os técnicos da Conab.

 

A segunda safra de feijão deve registrar um leve incremento de área nesta safra, mas permanece sendo a safra de feijão mais plantada no País. Segundo a Conab, os três tipos apresentam ganho de área, resultando numa produção de 1,19 milhão de toneladas.

 

Já a produção de algodão pluma deve crescer 10,3% e atingir 1,42 milhão de toneladas, mesmo com uma redução de 4,5% na área cultivada. “O maior cultivo de soja é o que ocasionou a redução nas áreas do algodão e do arroz, o que não ocorreu com as demais culturas de primeira safra”, esclarece a Conab.

 

 

Please reload