Luiz Roberto Baggio comenta a participação do cooperativismo no Plano Safra 2019/2020

26/06/2019

 (Foto: Arquivo Luiz Baggio)

 

O cooperativismo teve papel fundamental nas negociações do Plano Safra 2019/2020. Luiz Roberto Baggio, presidente da Cooperativa Bom Jesus, esteve acompanhando de perto as negociações juntamente com José Roberto Ricken, presidente da Ocepar, e Marcio Lopes de Freitas, presidente da OCB, que realizou o discurso de abertura do Plano representando toda a cadeia agrícola do país. Em entrevista para o Programa Bom Dia BJ, Baggio comentou como foram as negociações e as novidades do Plano Safra.

 

Papel do Cooperativismo – “Tão importante esse ano foi o papel e o trabalho das cooperativas, a participação do cooperativismo em conjunto com a CNA (Confederação da Agricultura). Se observarmos as mídias, o Marcio Lopes de Freitas (Presidente da OCB) foi a entidade chamada para falar em nome do setor produtivo. No evento de abertura do Plano Safra 2019/2020 falaram a Ministra da Agricultura (Tereza Cristina), o Marcio de Freitas, e o Presidente da República (Jair Bolsonaro). O trabalho começou em fevereiro e por que é importante? Porque as cooperativas também desenvolvem e, estão desenvolvendo, muito ao longo do tempo, um papel fundamental de transferência de tecnologia, o que possibilitou inclusive um maior aporte de recursos por parte do governo para seguro, porque quanto mais tecnologia você tem, você minimiza também os problemas de produção. Muita transferência de tecnologia por parte das cooperativas, muita transferência no que diz no ponto de vista de assistência técnica, esse foi fundamental também para evolução neste quesito assistência técnica.”

Novidades do Plano – “Entre outras novidades no plano também foi um trabalho importante feito por várias cooperativas. Pela primeira vez você vai ver o financiamento de casas rurais para pequenos produtores financiado pelo plano, a volta do financiamento de assistência técnica que pode ser financiado junto com os custeios, essa foi uma das reivindicações das cooperativas, porque você poder ter assistência técnica de melhor qualidade, poder financiar assistência técnica pelo custeio, ajuda o produtor rural.”

 

Recursos – “Nós sabemos que existe hoje menos recurso equalizado, o que é isso? É a diferença da taxa de juros normal do mercado e a taxa de juros que o pequeno produtor paga, e tem menos recurso de legibilidade, os bancos tem menos volume de depósitos à vista então eles estão oferecendo menos legibilidade. Foi conseguido costurar algumas negociações para que a gente conseguisse aumentar o volume especialmente no que diz a respeito ao Pronaf (Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar), são R$ 5 bilhões a mais para a subvenção das taxas de juros para o pequeno produtor, então é esse o papel fundamental das cooperativas, muito mais focada no Pronamp e Pronaf, os pequenos produtores, onde melhorou bem essa condição, especialmente no que diz a respeito de recursos aportados para subvenção onde que o governo bancou isso, nessa situação as cooperativas que tiveram lá tiveram essa grata surpresa de ter visto atendido a maior parte de seus pedidos. Se tem coisa negativa? Tem! Lógico que subiu os juros, e isso é ruim, e não tem o que fazer, juro para demais produtores ele aumentou 1% nas linhas de custeio.”

 

Recursos Livres – “Outra situação que eu não vejo muito grave são os volumes de recursos livres que aumentou também. Isso é importante que tem acontecido ao longo dos últimos 5 à 6 anos. Eu acompanho as negociações de Plano Safra a mais de 20 anos pela OCB (e hoje sou o Coordenador Nacional do Agro na OCB) e a mais de 20 anos a gente vem experimentando essas dificuldades de vários governos em financiar a agricultura e não é diferente agora, aumentou um pouco mais os recursos livres, custa um pouco mais caro, mas a oferta de dinheiro ela se manteve e aumentou um pouco.”

 

O Plano Safra 2019/2020 prevê R$ 225,59 bilhões para apoiar a produção agropecuária nacional.

Please reload