Cevada na região de Witmarsum é uma opção a mais de manejo à cooperado

02/08/2019

Na foto Charles Branco, técnico da Bom Jesus responsável pela área, o cooperado Reginaldo Gomes, e Luiz Daniel, da Timac Agro. (Foto: Cooperativa Bom Jesus/Felipe Andrade)

 

A Cooperativa Bom Jesus promove o desenvolvimento da região através de alternativas de renda ao produtor rural, como por exemplo, nos últimos 4 anos, entre estudos e já colocado a disposição do cooperado, a cultura da cevada vem se mostrando uma cultura que oferece uma alternativa de renda em um período de poucas opções de manejo rentável, que se configura o inverno.

 

Na região de Palmeira, mais precisamente na Colônia Witmarsum, o cooperado Reginaldo Gomes, participante do projeto Alta Performance, está plantando pela primeira vez a cultura de cevada. Entre área própria e arrendada são 30 hectares pensando em culturas do verão e inverno. Para ele, “a expectativa é que a cultura de um bom rendimento, e mesmo que não dê um bom rendimento e se chegar a empatar, sem ficar devendo, ainda assim estou preparando o meu terreno para a soja”, afirma ele. Manter uma cultura no inverno que traga benefícios para a cultura seguinte também é um fator da escolha da cevada para Reginaldo, que segundo ele “com isso não deixa o terreno parado, pois antes eu fazia o plantio de aveia e azevém e fazia ‘bola’ (feno pré secado em bola), tirava todo nutriente do terreno e depois tinha que colocar tudo de volta, ou seja, o que eu ganhava de lucro colocava de volta no terreno, então não tem lucro assim”, diz o cooperado.

 

Reginaldo afirma também que já vem trabalhando com as tecnologias da Bom Jesus. Na safra de verão 2018/2019, ele usou as sementes de soja Fibra com TSI (Tratamento de Sementes Industrial). “De um ano para o outro vimos um rendimento de 5 sacas a mais e o acompanhamento da Cooperativa ajudou também para o aumento de produtividade”. Com isso, com o TSI da cevada usado no campo a “expectativa é pelas contas que estamos fazendo de colher 80 sacas por hectare, com adubo de qualidade para chegar a este nível”, afirma o produtor.

 

Além do trabalho com lavouras de cereais, Reginaldo também tem diversificação na propriedade seguindo por mais três eixos: restaurante, plantio de frutas e criação de gado. Com o restaurante ele faz parte do roteiro turístico de Witmarsum, abrindo o comércio de quinta a domingo e feriados. No restaurante o produto carro chefe é um mix de suco de frutas feito de amora, morango, mirtilo e framboesa, que faz ele plantar 1500 pés de morango e ter 1 hectare de amora na propriedade, já o mirtilo e a framboesa ele traz de uma associação de produtores da cidade de Vacaria, no Rio Grande do Sul. Em relação a criação de gado serve para aproveitar o esterco curtido para adubar as culturas de morango e amora na propriedade, além de ter o gado de corte como outro eixo de renda na propriedade. Todo esse trabalho rende 9 empregos diretos que beneficia a comunidade.

 

Reginaldo acrescenta que “aqui na agricultura a gente espera mais. Estamos com a Cooperativa tentando novas tecnologias. A assistência técnica é importante, o Charles (Branco, técnico da Bom Jesus) auxilia nós com bastante apoio, trazendo tecnologias novas e nós tentamos entrar nestas novas tendências, para tentar melhores produções”. A Bom Jesus está ao lado do produtor e vem trazendo alternativas buscando agregar cada vez mais aos seus cooperados.

 

 

 

 

 

 

Please reload